segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

O Aprendiz de Taran Matharu


Avaliação:   | 350 páginas; Editora Galera Record

Como fantasia é um dos meus gêneros preferidos, assim que vi a capa desse livro fui atraída. Eu não gosto quando para falar de uma história é utilizado outras tantas como referência, mas ainda assim ver nomes como Skyrim, Pokémon, Philip Pullman (escritor de Fronteiras do Universo), Harry Potter, entre outros como inspirações, me animou um pouco, afinal eu gosto de tudo isso. E, de fato, eu mesma vou usar um pouco disso para dar uma ideia geral da trama: em muitos momentos lembra algo como Harry Potter, misturado com pokémons e outros games de RPG. Vou explicar melhor.
Fletcher é um órfão de 15 anos, que vive em Pelego, cidade pequena do norte. Ele foi adotado por um ferreiro e ensinado nesse ofício desde pequeno, então os dois têm muito consideração um pelo outro.
Um dia, na feira anual que ocorre em sua cidade, Fletcher conhece um homem que lhe dá um artigo muito especial: o caderno de um falecido mago de batalha. Folheando-o, cursioso, Fletcher acaba por conjurar um demônio sem querer. Na mesma noite, outros acontecimentos o obrigam a fugir da cidade e ele acaba conhecendo Arcturo, um mago de batalha que ensina na escola de aprendizes. Ao ver seu demônio, ele manda Fletcher para essa escola, onde ele começa a estudar para ir para a guerra como um conjurador.
Aqui humanos, elfos e anões têm relações muito conturbadas. Porém eles tentam formar uma aliança afim de derrubar seu inimigo em comum, os orcs. Além disso, mesmo entre os humanos há uma divisão entre nobres e plebeus. Na escola, Fletcher se vê amigo de um anão, de uma elfa e de alguns outros garotos plebeus, tendo que competir com os outros alunos, inclusive os nobres, pelas patentes mais altas do exército.
Confesso que apesar de estar bem curiosa com o livro, eu não esperava grande coisa, mas ao longo da leitura fui percebendo que a história é mais complexa do que eu imaginava que seria. 
A magia nesse livro é muito parecida com as de jogos de RPG. Os magos possuem um tanto de mana, que é a energia necessária para conjurações e outros feitiços. Os demônios são conjurados e possuem níveis de habilidade. Um mago pode ter mais de um demônio, capturando outros, mas isso também depende do nível de cada um deles e do nível de mana do próprio conjurador. Esses demônios têm formas animais e lutam ao lado de seus "donos", tendo com eles uma forte ligação mental.
Sendo o primeiro livro da trilogia, ele foi muito mais uma introdução do universo e da trama, ainda assim muito interessante. O final é daqueles talvez um pouco previsíveis, mas com um detalhe que deixa o leitor angustiado para ler o próximo e saber como a situação vai se resolver.
Foi uma ótima leitura, de capítulos curtos e escrita fluida, que me divertiu e certamente me fez querer ler as sequências, quando forem lançadas.
Inclusive o autor é muito simpático, chegou a comentar minhas fotos do livro no meu instagram e troquei umas poucas mensagens com ele no Twitter.
Recomendo muito para quem gosta de fantasia e para quem quer se iniciar nesse gênero.

7 comentários:

  1. Amei sua resenha! Que foto mais linda!! Faz tanto tempo que não leio fantasia... Este pareceu bem interessante, não sei por que imaginei a época medieval como o tempo do livro... E que legal isso de o autor conversar com você! O autor é de que país??
    http://virtualcheckin.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Normalmente esse tipo de fantasia é nesse período histórico e de fato parece ser mesmo nesse livro, mas não há datas e o mundo ali é todo fictício, então...
      Eu acho que ele mora na Inglaterra, mas ele é filho de uma brasileira, então até sabe um pouquinho de português (:
      Quando puder leia, é bem legal!

      Excluir
  2. Cara, esta capa é linda demais! Achei massa *-*
    Se eu me lembro bem, eu já tinha visto algo sobre este livro, mas nunca tinha lido uma resenha dele. Achei o enredo bem bacana, a escrita tem que prender mesmo, porque não são todos que conseguem entender uma fantasia, até mesmo existem aqueles leitores que ficam entediados! Comigo isto nunca aconteceu, pelo menos até o momento. Sou uma amante de fantasia, então sou bem suspeita para falar sobre o gênero Kkkkkkkkkk E se envolve elfos e toda aquela magia linda - que eu só imagino realmente esses jogos de RPG -, já quero Kkkkkkkkk Sua resenha está maravilhosa, incrível! Parabéns de novo.
    Beeeijos e com certeza este entra para a lista! Vou até tirar uma foto para poder lembrar ;)
    http://www.thoughtsandadventures.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Livros de fantasia possuem universos muito diferentes, com muitos detalhes, por isso somos meio bombardeados de informações; de fato algumas pessoas não têm saco pra isso tudo. Eu, particularmente, adoro! hahahah Acho super divertido aprender sobre universos fictícios.
      Leia sim, acho que você vai gostar! (:

      Excluir
  3. Que blog mais lindo o seu *-* Já estou seguindo!
    Achei a capa liinda , faz muito tempo que não leio livros do gênero e me interessei bastante por ele , sua resenha foi perfeita <3
    http://diariodabrunamacena.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aproveita para voltar a ler o gênero com ele! hahaha É bem legal mesmo.
      Obrigada <3

      Excluir
  4. Oi, Aline!
    Adorei a sua resenha!
    Nunca tinha me empolgado com esse livro, mas também não conhecia a história... agora fiquei com vontade de ler, ainda mais sabendo que é inspirado em tantas obras sensacionais <3
    Parabéns pela resenhaa
    Beijos
    www.vidaemmarte.com.br

    ResponderExcluir