quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Desejo À Meia-Noite de Lisa Kleypas


Avaliação: ☆ | 272 páginas; Editora Arqueiro


Amelia já tem 26 anos, mas não se preocupa em ainda estar solteira. Depois de uma terrível desilusão amorosa ela nunca desejou se casar e vivia muito bem com sua decisão. Já o irmão mais velho e herdeiro da família não se interessa por nada e vive na farra. Sendo órfãos, Amelia se colocou como a responsável pelos outros. Tentando manter o irmão na linha, longe dos bares onde costuma gastar todo o dinheiro da família, Amelia decida se mudar com todos para uma propriedade no campo, completamente abandonada. Lá, eles tentam, com pouco dinheiro, recomeçar a vida.
Em meio a tudo isso surge Cam Rohan, um cigano que vive na cidade, e que passa a ter um enorme interesse por Amelia. Premissa comum dos romances de época.
No entanto, algumas coisas me surpreenderam e outras me incomodaram bastante, embora eu adore o gênero. Primeiro, Amelia se mostrou uma mulher verdadeiramente independente e decidida; ela não quer ter de servir a um marido e perder sua liberdade e deixa muito claro a Cam que não quer esse tipo de envolvimento, e essa firmeza é algo que adoro nela e que falta na maioria das personagens femininas, principalmente de romances.
Porém Cam me irritou profundamente durante todo o livro. Ele é o típico macho alfa, que força as pessoas a darem o que ele quer, de qualquer jeito. Ele é insistente com Amelia, de uma forma nada romântica. Tenta chantageá-la, manipulá-la e, por fim, quando nada disso funciona, apela grosseiramente para a sedução. Cam está milhas e milhas longe de ser um protagonista de romance atraente. A única coisa que não me fez jogar o livro na parede foi justamente a personalidade forte de Amelia, que se envolveu com ele na medida que queria e não se deixava levar nem mesmo pelo sexo.
Falando nisso, apesar do título do livro ser um tanto suspeito, eu não imaginava que conteria conteúdo erótico, mas contém. As cenas de sexo são bem escritas, um tanto explícitas, e acontecem com frequência, como parte da história realmente (só que ao invés de apenas insinuar que algo acontece, a escritora de fato descreve).
Como a série Os Bridgertons, de Julia Quinn, a série Os Hathaways conta, em cada livro, a história romântica de algum dos irmãos da família. Apesar de tudo eu gostei desse livro e já tenho o segundo da série e pretendo continuar até o final.



Nenhum comentário:

Postar um comentário