segunda-feira, 12 de agosto de 2013

O Espírito do Mal de William Peter Blatty

Avaliação: 
[270 páginas; Círculo do Livro]

Ao resumir a história, ela soa um pouco fraca e clichê. Um detetive se empenha em solucionar uma onda de crimes na cidade, supostamente cometidas por um serial killer que há muito já morreu. Mas o foco do livro, ao meu ver, não é exatamente a trama policial.
Blatty tem uma escrita totalmente diferente de qualquer outra que eu já tenho lido. E a sensação que senti ao ler esse livro também foi muito diferente.
Foi por acaso; encontrei-o em uma das prateleiras abarrotadas de livros no escritório aqui de casa. Como ele é de capa dura, daquelas versões antigas, sem jacket, não há sinopse. Eu não fazia a menor ideia sobre o que se tratava a história. Pelo título (no original chama Legion, nada a ver) eu imaginei que fosse uma história de terror, então simplesmente abri e comecei a ler.
Quando li a primeira página percebi que era um livro policial. Porém, ao longo da leitura, essa análise se mostrou muito rasa. A história, apesar de desenvolver acontecimentos e possuir um fechamento deles, é na verdade uma enorme reflexão, principalmente sobre a questão do mal, mas também sobre Deus, sobre a dor e sobre a morte. As ideias e expectativas que eu tive no começo da leitura mudaram drasticamente, diversas vezes, durante o livro todo. 
Inicialmente, achei-o confuso; não por ser difícil de entender, mas por ter como característica muitos diálogos aleatórios, que me faziam pensar "Onde raios ele quer chegar com isso?". Na metade do livro, acostumada com o jeito do escritor, de repente me vi incrivelmente envolvida com a história, querendo sempre ler mais e mais, para enfim descobrir sobre o que se tratava tudo aquilo. Por que todos aqueles questionamentos? O que o escritor queria me fazer pensar?
Só depois de começar a ler foi que descobri que esse é o escritor de O Exorcista e que O Espírito do Mal faz parte do mesmo universo, como uma sequência. Nunca assisti ao filme e eu nem mesmo sabia que era um livro! Fiquei com muita vontade de ler.
Demorei um pouco para terminar, porque apesar de ser um livro pequeno, é um tanto denso. Mas depois que me acostumei ao estilo, o devorei.


Um comentário:

  1. Você possui um ótimo gosto para leitura rsrs O Exorcista é brutal, um dos livros mais assustadores já escritos, sério eu mesmo já li duas vezes e nas duas tive experiencias estranhas com a leitura rs sabe quando qualquer barulhinho te assusta muito e bem forte? rs Eu to pensando numa releitura para um novo post no Biblioteca do Terror.
    Continua lendo livros assim, se quiser dicas estou a disposição :)

    ResponderExcluir